No passado dia 16 de Junho, no Auditório da Biblioteca Almeida Garrett, teve lugar o Seminário ACT - Agir contra o Tráfico de Mulheres, promovido pelo Movimento Democrático de Mulheres.
O presidente da ASPP/PSP, Paulo Rodrigues, na qualidade de convidado/orador efetuou a sua intervenção contribuindo para o estimulo na reflexão sobre o tema em questão.
Parabenizamos o MDM pela iniciativa que levou ao debate de um tema infelizmente bastante actual.

 

 

A ASPP/PSP associando-se à causa pelo qual o autor da obra literária  OS POLÍCIAS NÃO CHORAM decidiu abraçar, vem divulgar o seu objectivo e como adquirir.

Hoje por uns, amanhã quem sabe, por nós.

 

Olá car@s colegas da PSP e GNR, espero que se encontrem bem!
 
Chamo-me Miguel Rodrigues e sou Polícia (PSP).
 
Sou o autor da obra “OS POLÍCIAS NÃO CHORAM”, a qual teve recentemente o seu lançamento.
 
O livro possui como objeto de estudo principal a PSP e GNR, e entre vários temas, encontramos a caracterização de quem somos e/ou quantos somos, e temas mais fraturantes e/ou por vezes tabu e que se encontram na ordem do dia, como os mortos e/ou feridos em serviço, o suicídio, ou as queixasrealizadas contra as Polícias.
 
Reverti os meus Direitos de Autor da 1.ª Edição para três colegas da PSP e GNR com dificuldades em virtude de adversidades da vida: João Martins, Agente da PSP de Cascais, doente oncológico; Amílcar Almeida, Guarda da GNR de Mangualde, vítima de um violento atropelamento em serviço; Raul Santos, Chefe da PSP de Alverca, vítima de um AVC hemorrágico.
 
Editora do livro, PRIME BOOKSsensibilizada pela causa, decidiu acrescentar 1 Euro aos meus Direitos de Autor relativamente a todos os livros vendidos no site da mesma, que é http://www.primebooks.pt/produto/os-policias-nao-choram-prevenda-17.
 
Neste âmbito, solicito que se ALIEM A ESTA CAUSA, simplesmente difundindo pelos vossos associados, e, se assim entenderem, pelas vossas páginas sociais oficiais.
 
NOTA: Estou a agendar, possivelmente para o final da semana que vem, a presença num conhecido programa da TV nacional para difundir o livro, no qual pretendo divulgar todos os Sindicatos/Associações que se aliaram a esta causa. Assim, solicito que me informem se a vossa divulgação pelos vossos associados será ou não efetuada, por forma a poder agradecer publicamente a todos os que aderiram a esta causa.
 
Segue anexo a Capa do Livro.
 
Lembrem-se, hoje precisam estes, amanhã podemos ser nós! Juntos e unidos somos mais fortes!
 
Obrigado e um forte abraço para tod@s!>

ESSÃO DE ESCLARECIMENTO-PORTO

 

Dia 25 de Abril de 2018, vai realizar-se uma Sessão de esclarecimento, pelas 10H00, na Inovinter, Rua António Granjo, 167, Porto.

APOSENTAÇÃO E PRÉ-APOSENTAÇÃO NA PSP.

Convidam -se os colegas na situação de pré-aposentação ou aposentação e também no ativo, para marcarem presença.

Aos interessados, após essa sessão, a ASPP/PSP vai marcar presença na celebração do Dia da Liberdade e participação no Desfile alusivo ao 25 de Abril.

VEM TIRAR AS TUAS DÚVIDAS

 
 

MAI NÃO CUMPRE DESCONGELAMENTO REMUNERATÓRIO

11 de Abril de 2018


A Associação Sindical dos Profissionais da Polícia – ASPP/PSP esteve reunida com o ministro da Administração Interna, no passado dia 7 de Março, tendo este referido que são 3.767 os Profissionais da Polícia com condições para avançar na posição remuneratória, após o descongelamento consagrado pela lei do Orçamento do Estado para este ano.

Na mesma reunião, foi garantido que, em Abril, esta situação ficaria definitivamente resolvida. O ministro, após confrontado no Parlamento por alguns deputados, voltou a confirmar que estaria tudo regularizado no mês de Abril.

No entanto, após a verificação dos recibos de vencimento, já disponíveis no Portal Social da PSP, tal não corresponde à verdade. A ASPP/PSP não recebeu qualquer esclarecimento do MAI sobre as eventuais razões para este incumprimento. Fica assim claro que o MAI não cumpriu a palavra que deu aos Polícias e ao Parlamento.

Os Profissionais da PSP não aceitam esta forma de atuar por parte da tutela. O Governo não pode aprovar leis e não cumprir, não pode dar a sua palavra e desrespeitá- la. Não pode tratar desta forma Profissionais que todos os dias dão o seu melhor para que Portugal seja o país seguro que tantas vezes se elogia.


A DIREÇÃO DA ASPP/PSP

Sub-categorias