INFORMAÇÃO

 Colocação posições remuneratórias  

06/08/2014

A ASPP/PSP esclarece os seus associados que decorrem diversas ações administrativas referentes ao RECONHECIMENTO DO DIREITO À MUDANÇA DE ESCALÃO/POSIÇÃO REMUNERATÓRIA, dos elementos ainda não abrangidos pela Tabela Remuneratória Única da Função Pública (Portaria 1553-C/2008).

Além destes a ASPP/PSP desde 2010, vem a encetar ações e a pressionar o poder politico, especialmente o MAI, com vista à colocação de todos os profissionais da PSP na nova tabela remuneratória, colocando assim todos os polícias em paridade a nível de referência remuneratória, que infelizmente ainda não sucedeu.

Por esse facto, diversas iniciativas foram tomadas pela ASPP/PSP, desde as lutas de rua, intervenção junto da Presidência da República, Primeiro-ministro, Assembleia da República, partidos políticos e outras.

Relembramos que se encontram igualmente a decorrer em diversos Tribunais Administrativos (Lisboa, Porto e Coimbra, desde janeiro e abril de 2013, ações judiciais referentes ao pagamento de retroativos aos elementos já reposicionados em 2012 (situação de “arrastamento”) e em janeiro de 2013, aguardando as respetivas decisões destas instâncias judiciais.

A ASPP/PSP, tem como ponto crucial para a discussão do novo Estatuto Profissional, anunciado para este ano de 2014, a regularização dessa situação, e acreditamos que assim será. Caso contrário, tomaremos uma posição de força, no sentido de solucionar uma matéria que desde o seu inicio foi mal conduzida pelas entidades responsáveis, e pela qual a ASPPPSP sempre se debateu.

A ASPP/PSP continuará atenta e zelará pela obrigação do governo cumprir o legalmente estabelecido, na defesa dos seus associados e profissionais da PSP.

 

 

A DIRECÇÃO NACIONAL DA ASPP/PSP


 


 

ASPP/PSP felicita Profissionais da PSP pelo exigente e desgastante trabalho efectuado na final da Champions League



25 de Maio de 2014

A Associação Sindical dos Profissionais da Polícia – ASPP/PSP – saúda a forma como decorreu a final da UEFA Champions League e releva o esforço e espírito de missão, imprescindível ao contributo dos Profissionais da PSP para o prestígio da mesma.

 

A ASPP/PSP considera que os Profissionais da Polícia demonstraram, mais uma vez, estar à altura dos grandes eventos mundiais que se realizam no nosso país, cumprindo a missão de zelar pela segurança de todos, sejam visitantes ou não.

 

 

            A ASPP/PSP recorda, no entanto, que para o desfecho positivo das operações de segurança que envolveram a final, muitos foram os Profissionais que trabalharam 24 horas consecutivas, sem tempo de descanso, com períodos mínimos para refeições. É importante recordar que a preparação da final começou muito antes de sábado. É de realçar que, injustamente, para a grande maioria dos envolvidos neste evento não existe qualquer compensação monetária, contrariamente ao que acontece e bem a profissionais de outros setores.

 

A ASPP/PSP considera assim que fica mais uma vez provada a especificidade da missão da PSP e dos seus Profissionais, bem como a necessidade de reconhecer a profissão de Polícia como de desgaste rápido, dado o stress, o trabalho por turnos, o trabalho prolongado por longos períodos consecutivos, a exigência da missão e as consequências físicas e psíquicas que daí advêm.

 

Exige-se por isso, no mínimo, que o estatuto profissional que sofrerá alterações nos próximos meses traga a justiça a profissionais que colocam o serviço, à frente da sua família ou mesmo da sua vida.

 

 

A DIRECÇÃO NACIONAL DA ASPP/PSP

 

 



 

 

 

CORTES ORÇAMENTAIS NAS POLICIAS CHEGAM À EUROPA

Conselho Europeu dos Sindicatos de polícia exigem intervenção do Conselho da Europa

 

4 de dezembro de 2013

 

 

Os cortes orçamentais e as consequências dessas medidas nas Forças de Segurança chegaram ao Conselho da Europa através do Conselho Europeu de Sindicatos da Polícia.

 

 Após a visita do secretário-geral da organização - CESP, Gérard Greneron (que também exerce funções como vice-presidente das organizações não governamentais no Conselho da Europa), a Portugal, a convite da Associação Sindical dos Profissionais da Polícia – ASPP/PSP –, com o objectivo de participar na manifestação do dia 21 de Novembro, o CESP fez chegar à responsável pelas áreas da Administração Interna / Segurança - do Conselho da Europa as preocupações que recolheu e pôde testemunhar.

 

Através de um ofício enviado a Cecilia Malmström, Comissária Europeia encarregue desta área, o CESP manifesta a sua profunda preocupação pelos cortes orçamentais nas Forças de Segurança, as consequências que poderá ter na segurança do País, no espaço europeu e na própria segurança pessoal dos Profissionais.

 

A ASPP/PSP espera agora que as instâncias europeias procurem intervir junto do governo português no sentido de reduzir os perigos que as medidas a implementar em 2014 podem acarretar para os profissionais, para o normal funcionamento da sociedade e para a própria União Europeia.

Na mesma linha esperamos que o Governo adopte medidas que optimizem o funcionamento das polícias, gerando maior estabilidade socioprofissional, bem como crie condições laborais de motivação para profissionais de um sector cada vez mais exigente e violento que deve ser tratado com o reconhecimento das especificidades inerentes à função policial.

 

 

 

 

A DIRECÇÃO NACIONAL DA ASPP/PSP

 

alt

INFORMAÇÃO

REUNIÃO COM A DIRECÇÃO NACIONAL DA PSP

08-01-2013



Ler mais