CM 

O Estado responsável

Temos trazido a público situações que se prendem com as condições de trabalho dos polícias, não só ao nível das instalações, mas também de equipamentos.
Ler mais em: http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/opiniao/paulo-rodrigues/a-vida-em-primeiro

 

 

 

O tribunal condenou recentemente 3 polícias pelo crime de corrupção passiva. Apesar de ser uma situação pontual em nada beneficia o excelente trabalho que milhares de polícias vão fazendo todos os dias.

No entanto, no decorrer da audiência, ouvimos o juiz fazer referência à responsabilidade do Estado na forma como trata os seus funcionários. Sem querer desresponsabilizar estes funcionários pelos atos cometidos, a verdade é que o Estado, como refere o juiz, "não paga às pessoas, trata-as mal e deixa-os numa situação económica difícil".

Por outras palavras, o Estado cria todas as condições para que os polícias caiam em extremas dificuldades, punindo as consequências e não as circunstâncias que estiveram na base do problema. É importante que se extraiam daqui as responsabilidades necessárias para que se possam corrigir algumas lacunas. Até porque é frequente a PSP deslocar polícias, por imposição do serviço e durante vários dias, para locais fora do seu local de trabalho, pagando-lhe por dia pouco mais do valor real de uma refeição.

 

 

Paulo Rodrigues, Presidente da Associação Sindical dos Profissionais da Polícia