CM 

Expectativas para 2017

O governo terá uma oportunidade para fazer justiça aos polícias.

ASPP/PSP entregou uma petição na Assembleia da República para que os grupos parlamentares discutam e aprovem legislação que contemple a Polícia como profissão de risco e de desgaste rápido.

É relevante o facto de esta petição ter sido assinada maioritariamente por cidadãos não polícias que, no momento em que lhes era solicitada a assinatura, desconheciam que os polícias não eram compensados pelo risco, o que revela bem que a maioria da população tem a plena consciência de que compensar este risco seria mais do que óbvio.

A maior parte das instituições bancárias ou de seguros não tem dúvidas: consideram a polícia como profissão de risco, com as naturais consequências para o cidadão polícia. Esta profissão é de risco quando resulta numa penalização para o polícia; mas já não o é quando daí resultariam benefícios para estes profissionais.

Durante o ano de 2017, está prevista a discussão e alteração ao diploma que regula os suplementos na PSP, pelo que o Governo deve aproveitar a oportunidade para fazer justiça a estes homens e mulheres.

Até lá, desejo a todos os leitores, em especial aos que no dia de Natal têm de assegurar a segurança e tranquilidade públicas, um dia feliz e um ano repleto de êxitos.


 

Paulo Rodrigues, Presidente da Associação Sindical dos Profissionais da Polícia