CM 

Que Europa?

Temos trazido a público situações que se prendem com as condições de trabalho dos polícias, não só ao nível das instalações, mas também de equipamentos.
Ler mais em: http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/opiniao/paulo-rodrigues/a-vida-em-primeiro

 

 

A ASPP/PSP organizou uma conferência em torno da Europa, das políticas europeias para a segurança e da discrepância de meios para o combate ao crime à disposição das diferentes polícias. Das diversas intervenções, nacionais e internacionais, fica a certeza de que há pouca coordenação entre as polícias europeias.

As formas de comunicação necessitam de ser agilizadas e há toda uma série de diferenças entre os meios ao dispor das polícias que, apesar de estarmos num espaço comum, impedem ações comuns. Sendo verdade que a criminalidade tem vindo a descer em Portugal, nomeadamente a violenta e grave, quando comparada com outros países europeus, também ficou claro que tal acontece pelo empenho dos profissionais, com meios escassos e sem o devido reconhecimento por parte dos governos.

Recordemos que, em 2011, a ASPP/ PSP efetuou uma comparação entre diversas polícias europeias e, exceção feita a Malta, somos os mais mal pagos da Europa. A ASPP/PSP deu o primeiro passo num debate que necessita de sair dos meios académicos para a esfera pública, uma vez que, mais cedo que tarde, terá consequências na vida de todos nós.

 

Paulo Rodrigues, Presidente da Associação Sindical dos Profissionais da Polícia